Centro Universitário Norte do Espírito Santo, São Mateus - ES

ANDINA: Primeira cultivar para altitude/frio

A Universidade Federal do Espírito Santo – UFES em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus de Morrinhos, obtiveram o primeiro registro de uma cultivar de Coffea canephora adaptada a altitudes elevadas, temperaturas mais baixas. O registro foi realizado junto ao Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento - MAPA, sendo denominada de ANDINA, sendo mais uma contribuição para a cafeicultura, desta vez, para maiores altitudes/menores temperaturas. É uma cultivar de Coffea canephora Pierre ex A. Froehner (Conilon ou Robusta), composta por 05 genótipos/clones, tendo produtividade superior em condições de altitude.

Participaram do registro como melhoristas e coordenadores do trabalho os Eng. Agrônomos Fábio Luiz Partelli (Prof. da UFES) e Adelmo Golynski (Prof. IF Goiano). O trabalho também teve a participação de outros profissionais/melhoristas, dentre eles Adésio Ferreira, Madlles Queiros Martins (UFES), Aldo Luiz Mauri (consultor), José Cochicho Ramalho (ULisboa) e Henrique Duarte Vieira (UENF). O registro foi realizado pelo Instituto de Inovação Tecnológica (INIT) da UFES.

Inicialmente os materiais foram selecionados e propagados vegetativamente por estaquia, e plantados em uma mesma lavoura, num “ensaio de competição”. O plantio foi composto por 28 genótipos (25 propagados por estacas e três por sementes), no município de Morrinhos, Goiás. A região é caracterizada por apresentar um défice hídrico a partir do mês de abril até o mês de outubro, tem uma topografia plana e relevo ondulado, a temperatura média anual de 20°C, sendo que a temperatura mínima do ar varia de 10ºC a 20°C.

Durante os anos de avaliação, foi verificada a boa adaptação dos genótipos selecionados às condições de cultivo, visto seu bom desempenho em crescimento e produção nas condições de 850 metros de altitude. Não foi verificado ataque severo das principais pragas e doenças, com as plantas mantendo-se vigorosas e com bom enfolhamento durante todo o ciclo.

Dessa forma, a nova cultivar, apresenta características desejáveis, sobretudo, alta produtividade, inclusive quando comparado a genótipos registrados e de grande aceitação entre os cafeicultores, podendo ser plantada em condições climáticas similares às que foram cultivadas (aproximadamente 850 metros de altitude). Assim, a cultivar ANDINA é recomendada para os Estados com Latitude inferior a 22° Sul e altitude inferior a 900 metros e que não tenham temperatura mínima do ar inferior a 8ºC por mais de 10 dias no ano.

 

Tags: 
Facebook
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia Governador Mário Covas, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-540